• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Greve Nacional da Educação 15/ MAIO, Rumo a GREVE GERAL da Classe Trabalhadora

É urgente a organização e mobilização da classe trabalhadora para enfrentar a retirada de direitos e os ataques do governo Bolsonaro contra a Educação.

Publicado: 13 Maio, 2019 - 11h10 | Última modificação: 13 Maio, 2019 - 12h41

Escrito por: Socorro Silva - CUTPI

Reprodução
notice

A greve da educação, marcada para o dia 15 de maio, quarta-feira, tem um importante papel estratégico na construção da greve geral, marcada para o dia 14 de junho.

A CUT Piauí orienta que todos os ramos se envolvam nesta importante paralisação nacional. Os professores, estudantes e profissionais que atuam na área da educação, os movimentos sociais e estudantis, devem participar em defesa da educação, contra os cortes das verbas anunciadas e praticadas através do governo Bolsonaro.

15 DE MAIO GREVE NACIONAL DA EDUCAÇÃO RUMO Á GREVE GERAL DA CLASSE TRABALHADORA

DIA 14 DE JUNHO DE 2019

ATAQUE DO GOVERNO NA EDUCAÇÃO

O governo Bolsonaro tenta, entre outros desmandos, destruir a Educação Pública brasileira. Isto é comprovado frente aos cortes no orçamento, no ensino superior, e no ensino básico. A Greve Nacional responde aos ataques sofridos pela Educação, e a Reforma da Previdência que, perversamente, aumenta em mais dez anos o tempo para o professor (a) se aposentar.

Neste processo, Bolsonaro ameaça acabar com o ensino de disciplinas fundamentais, retira verbas da saúde, da educação, da assistência social e mente ao dizer que a Previdência é deficitária, e que a reforma é necessária.

As centrais sindicais estão contra esta proposta de reforma, altamente prejudicial, que retira os direitos dos mais pobres, do magistério, dos/ as trabalhadores/as rurais e dos idosos. A proposta de reforma da Previdência entrega a nossa aposentadoria nas mãos dos banqueiros, acabando com a Previdência, a Seguridade Social e todos os direitos que conseguimos através de muitas lutas.

Por esses ataques a educação, em defesa dos avanços conquistados pelos trabalhadores e as trabalhadoras, as Centrais Sindicais, e suas entidades convocam a sociedade para a Greve Nacional da Educação Dia 15 de Maio.

14 de JUNHO é Greve Geral Nacional da Classe Trabalhadora contra a desumana reforma da Previdência do governo Bolsonaro, contra as privatizações e de todas as medidas ditadas por esse governo que quer acabar com direitos, ampliar a fome, a miséria e a violência contra a classe trabalhadora.

 Por educação pública, gratuita, plural, laica, desmilitarizada, democrática, sem violência, de qualidade, integral, com profissionais valorizados, e igualdade para todos/as!

Por um projeto de sociedade inclusivo, com emprego e renda para todos/as!

Contra a reforma da Previdência que retira direitos de quem mais precisa!

 

Vai Ter Luta. Vai Ter Resistência!

15 de Maio GREVE NACIONAL DA EDUCAÇÃO

14 de Junho GREVE GERAL DA CLASSE TRABALHADORA

#NenhumDireitoaMenos

 

ENTENDA

Depois de anunciar que o MEC cortará verbas de três universidades federais por “balbúrdia”, o ministro da educação, Abraham Weintraub, foi além. Os cortes não serão apenas nos orçamentos das Universidades Federal Fluminense (UFF), da Bahia (UFBA) e de Brasília (UnB). Agora, todas as universidades e institutos federais terão seus orçamentos cortados em 30%.

O governo federal anunciou em 29 de março um contingenciamento de R$ 29,5 bilhões do orçamento da União. R$ 5,8 bilhões foram contingenciados do Ministério da Educação (MEC) e R$ 2,1 bilhões do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Agora, Weintraub começa a definir de onde cortará a verba em sua pasta.

O ministro decidiu que todas as universidades e institutos federais terão 30% do seu orçamento cortados a partir do segundo semestre. O corte se dará no orçamento para despesas discricionárias. Elas são usadas para pagar, por exemplo, as contas de água e luz, além de serviços de limpeza.

Os ataques impiedosos à educação fazem parte de uma ação repressora e antidemocrática na tentativa de estabelecer a idéia do pensamento único, daqueles que temem o livre pensar e a consciência crítica.

A greve da educação deve ser uma resposta de toda classe trabalhadora contra a destruição do estado de direito, contra a intolerância, o ódio e contra a criminosa reforma da previdência que tenta submeter a maioria da sociedade à ganância de uma elite inconsequente e usurpadora. Todas e todos juntos em defesa da educação e em defesa da democracia!

Em Teresina, as Centrais Sindicais CUT-PI, CTB. INTERSINDICAL, CSP CONLUTAS, Movimentos Sociais, Estudantes farão uma grande manifestação contra os desmontes do governo.

 

TERESINA-PI DIA 15 DE MAIO QUARTA-FEIRA

CONCENTRAÇÃO: 8 H 

LOCAL: INSS - PRÓXIMO A PRAÇA RIO BRANCO 

CUTCUT

Vagner Freitas: Carta aberta à juventude e aos estudantes do Brasil

A CUT manifesta seu integral apoio às lutas da juventude e dos estudantes porque está convencida de que um país que não valoriza a educação e a juventude não tem futuro.

Podem contar com a CUT Nacional, as CUTs Estaduais, Confederações, Federações e Sindicatos filiados. Estamos de portas abertas para ajudá-los nesta luta importantíssima para o desenvolvimento do Brasil, com justiça e inclusão social de todos os brasileiros e brasileiras.

Um governo que corta R$ 7,4 bilhões na educação e libera 12,3 bilhões para os deputados, em troca de votos a favor da reforma da Previdência comete dois crimes simultâneos: condena o futuro da juventude e do país; e retira de todos, jovens e idosos, o direito a uma aposentadoria digna em futuro incerto.

A insensatez e a ignorância de governantes não vão destruir a esperança de milhões de jovens e suas famílias porque nossa juventude tem garra, espírito de luta e sabedoria. E tem a seu lado a CUT, a maior central sindical do país.

As escolas e universidades são espaços onde deve florescer a liberdade, a exploração de possibilidades, a ciência e a inventividade.

A energia manifestada pela nossa juventude nos enche de esperança e nos convoca a todos e todas a nos mobilizarmos juntos por esta causa.

Estaremos ao lado de seus pais, convocando-os a se juntarem a seus filhos nesta luta justa, apoiando também a greve nacional da educação, que será realizada dia 15 de maio.

Está greve faz parte da luta contra a reforma da Previdência, por ensino público de qualidade, contra os cortes do orçamento da educação, contra a destruição pesquisa e de todas as políticas públicas que asseguram o acesso à educação para a juventude brasileira.

Por isso, a CUT está convocando um Dia Nacional de Luta de todas as categorias em apoio a greve da educação, um esquenta para a greve geral marcada para o dia 14 de junho em defesa da aposentadoria e dos direitos dos trabalhadores.

A reforma da Previdência precisa ser derrotada para impedirmos que este governo irresponsável encha os cofres dos banqueiros e destrua as esperanças da juventude e a dignidade dos idosos.

A greve nacional da educação e a geral são em defesa do presente e do futuro do Brasil e do povo brasileiro. Por isso, estaremos juntos nas duas mobilizações.

Vagner Freitas
Presidente Nacional da CUT