• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Rodoviários alcançam conquista na luta em defesa dos seus direitos. Greve Suspensa.

Uma liminar expedida pelo TRT determinou o pagamento imediato do plano de saúde, e o ticket alimentação

Publicado: 14 Outubro, 2020 - 19h19 | Última modificação: 15 Outubro, 2020 - 09h09

Escrito por: Socorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PI
notice
Greve dos Trabalhadores Rodoviários do Piauí suspensa após conquista através do TRT

Os trabalhadores rodoviários de Teresina-PI, entraram em greve ás 00:00 de terça-feira (13), o movimento paredista foi aprovado durante assembleia geral extraordinária realizada na última sexta-feira dia 9 de outubro de 2020, onde  acategoria aprovou por unanimidade pela greve por tempo indeterminado.

No 1º dia de greve, o sindicato foi notificado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), com uma decisão do desembargador Giorgi Machado Araújo, onde Na decisão, o desembargador ordenou que os motoristas e cobradores respeitem o dissídio de greve e coloquem 70% da frota para circular em horário de pico e 30% no entre pico sob risco do sindicato que representa a categoria pagar multa de R$ 50 mil por dia.

Os trabalhadores reivindicam a  garantia de  plano de saúde, ticket alimentação, o cumprimento dos 30% da MP 936/2020, melhores condições de trabalho, pontos de apoio com condições adequadas no final de linhas, EPIs como máscaras, álcool em gel, proteção com tela de película ao lado do motorista e na frente dos cobradores, bem como sanitização dos ônibus. 

No primeiro dia de greve terça (13), os trabalhadores cruzaram os braços, e não houve circulação dos ônibus do setor de transporte urbano de Teresina-Piauí, já na quarta (14), dando continuidade ao movimento paredista,  os trabalhadores concentraram-se na sede do sindicato dos rodoviários, no centro da capital, localizado na rua paissandú 948, centro-sul.

SintetroSintetro

Rodoviários fizeram uma manifestação sibólica no auditório e na frente do sindicato (garagem), onde em representatividade a atual situação do transporte urbano de Teresina, colocaram um caixão de madeira, na cor preto, acompanhado de velas, composto também com uma cruz, e com alguns nomes colados em papeis, como forma de protesto pela falta de respeito oriundos dos empresários, e do Prefeito da capital Firmino Filho, por não intervir junto ao SETUT para solucionar o impasse.

SintetroSintetro

Tendo em vista a decisão do desembargador Giogi Machado Araújo, o SINTETRO convocou uma reunião com a categoria, na sede do sindicato para esta quarta (14), ás 15h com o objetivo de repassar sobre a decisão do TRT acima citada, e ouvir os trabalhadores. Porém, antes mesmo de dar ínicio a reunião, o SINTETRO-PI foi notificado novamente pelo TRT-PI da 22ª região, desta vez pelo Juiz Carlos Wagner Araújo Nery da Cruz, que determinou que as empresas de ônibus paguem o ticket alimentação e o plano de saúde a motoristas e cobradores. A decisão, do juiz Carlos Wagner Araújo Nery da Cruz, foi proferida nesta quarta-feira (14), após a categoria ter iniciado uma greve e o serviço de transporte público de Teresina ter ficado com apenas 30% da frota funcionando.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

O SINTETRO-PI decidiu então apresentar também a segunda decisão aos trabalhadores, que após dois dias de greve e de resistência na luta, consideram um grande avanço conquistado pela determinação da diretoria do sindicato, em persistir para que os direitos ao Plano de saúde e ao ticket alimentação voltassem a ser pagos pelas empresas, essa sempre foi uma das prioridades do SINTETRO, desde quando os dois foram suspensos em plena pandemia do covid-19. 

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Ajuri Dias - Presidente do SINTETRO-PI: "Consideramos um avanço na luta em defesa dos direitos dos trabalhadores rodoviários, pois tivemos a primeira greve que durou mais de 82 dias, e não foi alcançado o objetivo devido a intransigência dos próprios empresários, que não apresentavam nenhuma proposta condicente com a realidade dos motoristas e cobradores do setor urbano, já esse segundo movimento paredista que durou apenas dois dias, conseguimos através da avaliação feita pela própria categoria, que mesmo diante do pouco tempo, alcançamos prioridades que estavamos reivindicando, no caso do plano de saúde e do ticket alimentação, que não estava sendo pago por parte dos empresarios, esperamos que se cumpra o que está sendo determinado através da liminar do TRT, onde os empresarios tem 10 dias para cumprir com os pagamentos, por decisão dos trabalhadores durante a reunião, após tomarem conhecimento do teor a greve foi suspensa na sua totalidade". Disse.

Segundo Ajuri, "essa luta dos trabalhadores rodoviários, apartir de agora vai se ampliar para a busca dos nossos direitos, e garantir principalmente uma qualidade de vida para essa categoria, na tutela antecipada que o desembargador deu como resultado do nosso dissídio coletivo, mesmo que seja uma decisão provisória, tem a validade a partir de agora com os benefícios dos recebimentos plano de saúde e ticket alimentação até a data do dissídio coletivo, então isso para a categoria foi bastante satisfatório". Concluiu.

O SINTETRO-PI lançou uma nota em agradecimento aos trabalhadores que participaram de forma unida, por um objetivo comum, e que agora só precisam aguardar o que foi determinado pelo TRT, que se cumpra por parte dos empresarios, aquilo que é um direito dos trabalhadores.

"A luta dos trabalhadores rodoviários não pode parar, os trabalhadores nunca devem desistir de lutar, porque através da luta é que ele consegue melhorar a sua  qualidade de vida". Ajuri Dias. 

SINTETRO Lança Nota para os Trabalhadores Rodoviários:

SintetroSintetro