• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Privatização da Eletrobrás e Correios ameaçam direitos e podem trazer prejuízos

Live da CUT-PI fortalece a importância da conscientização da sociedade para a luta dos sindicatos em defesa das empresas estatais públicas

Publicado: 26 Abril, 2021 - 22h43 | Última modificação: 27 Abril, 2021 - 09h43

Escrito por: Socorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PI
notice
Live

A CUT-PI durante live em defesa das estatais públicas, trouxe o tema: "Não Deixem Vender o Brasil", realizada nesta segunda-feira (26), na página do facebook da central, a live levantou durante o debate a importância da sociedade abraçar a luta dos sindicatos dos Urbanitários, Correios e Bancários, na defesa das empresas públicas, e contra a Privatização. Diante do cenário da pandemia do Covid-19, que traz além dos riscos eminentes da contaminação, os ataques a classe trabalhadora por parte do presidente Bolsonaro (Ex-PSL) que não cessam. Diante desse cenário, a CUT-PI fortaleceu a resistência em defesa dos direitos da classe trabalhadora que se torna cada vez mais precisa e urgente, para barrar as atrocidades que correm soltas no Congresso Nacional. A live teve início às 18:30h, e trouxe como debatedores, Herbertt Marinho - representando a CHESF, Edilson Santos - Presidente do SINTECT-PI, Paulo Bezerra - Presidente da CUT-PI como moderador, e a Assessoria de Comunicação, e Jornalista Socorro Silva, como apresentadora da live.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Na avaliação do presidente da CUT-PI, o debate chega num momento em que é preciso fortalecer mais e mais a luta contra a privatização: "O debate é importante para que todos os brasileiros saibam o que está em jogo. Estamos sob ameaça de privatização de um patrimônio relevante para o nosso país, esse momento é extremamente importante e precisamos nos unir para defendermos as nossas empresas públicas. Temos a Eletrobrás, os Correios, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica na mira dessa privatização, e precisamos ter a contribuíção da sociedade para evitar que se entregue esse patrimônio tão importante para a iniciativa privada, a sociedade precisa ter o entendimento quando o Sindicato dos Urbanitários, Sindicato dos Correios, saem em  defesa dessas estatais, é justamente porque traz esse retorno da luta, é o que ainda mantém as nossas empresas públicas, e é isso que nós da CUT-PI entendemos". Paulo Bezerra - Presidente da CUT-PI.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Para Edilson Santos - Presidente do SINTECT-PI - Sindicato dos Correios: "Essa lógica da privatização dos Correios, já está causando uma grande repercussão, a nível de País, principalmente pelo pedido de urgência para que essa famigerada privatização seja votada. O que está por trás disso, nada mais é do que o sucateamento dos Correios, o ataque aos trabalhadores e aos seus direitos, e que já vem causando demissões mesmo antes de ser privatizado, o momento é de luta para defender os Correios e não entregar nas mãos do capital privado. Vamos lembrar aqui que, no início da pandemia, os serviços dos Correios aumentou cada vez mais, principalmente o setor de encomendas, porque naquele momento o comércio quase todos fechados, justamente por conta da pandemia, e assim os usuários usavam muito os Correios para esses serviços, as demandas aumentaram, os serviços também aumentaram, no entanto o governo jogou nós trabalhadores numa vala, ou seja, discutir campanha salarial em plena pandemia onde o nosso dissídio coletivo estaria até agora no mês de julho de 2021, ai nós tivemos que discutir com os trabalhadores, partir para uma linha de confronto, e novamente para mais uma greve, para tentar reverter essa situação, mas diante do enfrentamento da retirada de praticamente cinquenta por cento dos nossos direitos, e de algumas cláusulas através do TST, com o intuito de retirar nossos direitos, em seguida sucatear os correios, para depois mostrar para a sociedade que é preciso privatizar a empresa.". Disse.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

 

Herbertt Marinho - Chesfiano, Secretário de Comunicação da CUT-PI e Diretor do Sindicato dos Urbanitário no estado do Piauí: "Esse momento é muito oportuno que a CUT está trazendo para a sociedade, e que a gente já vem alertando, não é de hoje que os sindicatos fazem esse alerta, isso vem acontecendo desde o golpe de 2016, os ataques que a classe trabalhadora vem sofrendo. É um absurdo que diante de uma pandemia nós retrocedemos seis posições da economia mundial, hoje nós somos o 12º país do mundo, nós já fomos a 6ª economia do mundo, nós regredimos e agora nós pretendemos abdicar das estatais num momento de uma pandemia onde nós precisamos gerar mais empregos, gerar mais investimento público para que possa diminuir o sofrimento do povo brasileiro". Frisou.

A CUT-PI está com a agenda programada para as suas lives acontecerem nas segundas-feiras, e a próxima trará mais um tema importante para a sociedade e a classe trabalhadora. Aguarde que em breve estaremos divulgando, nas redes sociais da CUT-PI e dos Sindicatos filiados.