• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Planejamento da CUT-PI traz novas estratégias para o enfrentamento em 2020

Fortalecer a luta com a bandeira da resistência a frente, é uma das principais prioridades da central

Publicado: 11 Janeiro, 2020 - 19h45 | Última modificação: 12 Janeiro, 2020 - 17h03

Escrito por: Socorro Silva/Ascom/CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PI
notice
Planejamento CUT-PI - Quadriênio 2019/2020.

Nos dias 09 e 10 de janeiro, a CUT-PI  realizou o Planejamento da sua Diretoria para o Quadriênio 2019-2023.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Durante a abertura no primeiro dia, uma breve analise de conjuntura foi feita através do Presidente Paulo Bezerra, em seguida fora feita a leitura do Estatuto da Central, esclarecendo ás dúvidas para os (as) novos (as) diretores (as) que compoem a direção executiva e direção estadual, e que estão chegando para contribuir na luta em defesa da classe trabalhadora. 

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Paulo Bezerra, presidente da CUT-PI "Quero fortalecer o compromisso da CUT no papel da formação, que traz a frente como secretário, o companheiro Josivaldo, que tem contribuído bastante para os trabalhadores ligados a nossa central, quero aqui registrar que teremos o maior orgulho em tê-lo na Escola Nordeste, onde será o nosso representante, e sei da sua competência, e que muito irá contribuir, a escola será fortalecida com o seu desempenho e dedicação, mas aqui para o nosso estado e para a nossa central, não podemos abrir mão dessa contribuição, sabemos que é um novo desafio que ele irá cumprir, e estamos aqui para apoiá-lo". Disse.

Planejamento:

Segundo Paulo, o ato de planejar tem que ser feito em conjunto, onde todos e todas irão avaliar o que fora feito na gestão anterior, analisar muito bem o que foi implementado que trouxe resultados, não podendo dispensar nenhum fato, e aquilo que não deu certo, discutir também para saber o que houve, dessa forma ter objetividade, e capacidade de executar as ações que serão planejadas para o ano de 2020, é fundamental.

Conjuntura:

"Acompanhamos o andar da conjuntura durante os últimos anos e ela não mudou, o que mudou foram os personagens, mas a política é a mesma, se tornando mais agressiva, mas no mesmo caminho, não foi a tendência política e econômica do nosso país, essa só agride a classe trabalhadora, foi a iserção dos governos com a retirada de direitos e da população, o objetivo desse governo não era trazer uma política voltada para o social, como não trouxe, e a nossa população há três anos atrás entendeu que era necessário fazer essa mudança, pois a intenção desse governo era, e ainda é,  dar continuidade ao que Michel Temer trouxe, depois do impeachment, foi ai que essa política se tornou mais agressiva, mas é a continuação do projeto político da direita, do capital, do que todos nós temos a leitura, dizendo isso, eu quero reforçar a idéia de que nós fomos a entidade onde seus sindicatos foi quem teve a maior participação no enfrentamento, tivemos a contribuíção da juventude, do movimento social e popular, mas a CUT foi que assumiu a responsabilidade de conduzir o processo de mobilização, isso foi feito porque nós tivemos ao longo desses anos a capacidade de formação política, sabemos que não tivemos a capacidade suficiente para a sociedade, nós nos limitamos a fazer uma capacitação de formação política voltada apenas para a classe trabalhadora, ai onde eu quero apontar o desafio, onde a CUT vai chegar, pois a população precisa ter um elo de ligação com as organizações de classe, sejam trabalhadores ou sociais. Sabemos que existe uma dificuldade, não temos espaço, a forma como estamos conduzindo a nossa política não está sendo absolvida pela população, mas ainda temos veículos que nos dão poder de divulgação e mobilização, a tv, as redes sociais, o rádio, que em sua maioria é comprada pelo capital, mas ainda assim vamos utilizar das nossas ferramentas que temos e continuar firmes na luta!". Concluiu. Paulo Bezerra.

Após a leitura do estatuto, deu-se um intervalo para o almoço, e retornando com os trabalhos em grupos, onde o principal tema foi: O Que é Planejar?

Os Eixos discutidos em grupos, para a construção do planejamento da CUT-PI, envolve a atual realidade da central e dos sindicatos filiados, seguindo na ordem Estrutura, Organização, Comunicação e Formação. Também foi destaque durante o planejamento, o papel da CUT no cenário político de reformas estruturais no país. Onde se destacou que a resistência, e a unidade na luta são fundamentais para o enfrentamento.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

A organização dos eixos foram divididos de acordo com a necessidade do tempo para a realização: imediato, médio prazo, longo prazo, recursos financeiros e recursos humanos.

Um dos pontos de maior destaque foi a Comunicação x Formação, uma das maiores prioridades da CUT-PI, que trouxe várias contribuições para o desenvolvimento de estratégias de melhorias diante do cenário adverso.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Josivaldo Martins, secretário de formação, e coordenador do planejamento da CUT " A avaliação que faço sobre o planejamento, é que teremos pela frente grandes desafios, e que planejar é muito importante para cumprir as metas que almejamos, esses dois dias trouxeram debates indispensáveis que só veem a contribuir com a nossa central, com essa conjuntura que ai está, não podemos dar um passo a frente sem antes planejar o que fazer, como fazer e porque fazer". Disse.

Foram dois dias de intensas discussões que levou a construção do planejamento da central para 2020, com uma agenda de lutas e de ações, priorizando o fortalecimento dos sindicatos, a união com os movimentos sociais, a luta por democracia, inclusão social, soberania, recuperação dos direitos e desenvolvimento, dentre outros. Já trazendo em uma das suas primeiras agendas o desenvolver de atividades voltadas ao Dia 8 de Março, dia internacional da Mulher.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

 O Planejamento foi construído pela direção da central, eleita no último congresso ocorrido em novembro de 2019, a atividade política e sindical aconteceu na sede do SITRICOM/PI, localizado ao lado do estacionamento do Verdão - R. Jônatas Batista, 1055 - Centro (Sul), Teresina - PI.