• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

FETAG-PI discute estratégias para o enfrentamento contra a retirada de direitos

VI "Marcha das Margaridas" é lançada durante Conselho Deliberativo

Publicado: 16 Dezembro, 2018 - 23h35 | Última modificação: 17 Dezembro, 2018 - 01h16

Escrito por: Socorro Silva - CUTPI

Socorro Silva - CUTPI
notice
Conselho Deliberativo da FETAG-PI

A diretoria da FETAG-PI realizou nos dias 13 e 14/12, no Centro de Estudos Sindical Rural (CESIR), o II Conselho Deliberativo do ano de 2018, com a participação de 240 sindicalistas de todo o Estado do Piauí.

Durante a cerimônia de abertura, marcaram presença a Presidente da Federação, Elisângela Moura, a Secretária Nacional de Mulheres da CONTAG, Mazé Morais, o Coordenador  da CONTAG, José Wilson, Secretário de Finanças da FETARN, Erivam do Carmo, Secretária de Desenvolvimento Rural, Patrícia Vasconcelos, Secretário de Formação da CUT-PI, Josivaldo Martins, Secretaria das Mulheres Antônia Ribeiro e demais convidados (as).

A Presidente Elisângela Moura aproveitou a presença dos líderes sindicais do estado e disse acreditar na resistência do MSTTR frente às adversidades contra a classe trabalhadora rural.

Socorro SilvaSocorro Silva

“O Ano de 2018 não foi fácil, enfrentamos muitas dificuldades,  e precisamos juntos construir as nossas agendas conjuntas para o exercicio de 2019, nós precisamos uns dos outros, dos parceiros de luta que integram os movimentos sociais para enfrentarmos esse momento preocupante de perda de direitos da classe trabalhadora, principalmente com a extinção do Ministério do Trabalho, vamos precisar de muitas estratégias para que possamos resistir a todo  tipo de atitudes que venham contra a classe trabalhadora.

Esperamos que nossos sindicatos após o termino deste conselho deliberativo voltem para suas bases fortalecidos, principalmente para nós continuarmos nossa luta, porque acreditamos que o ano de 2019 será desafiador, de muita luta, onde precisaremos de resistência, pois temos ameaças de perdas de direitos. Portanto, precisamos lutar pelos direitos da classe trabalhadora rural, somos cientes que este é nosso papel enquanto dirigente sindical, e o Conselho tem a importância de trazer energia positiva para os dirigentes do Estado do Piauí”, disse.

Josivaldo Martins - Secretário de Formação da CUT-PI: "Esse é um momento importante em que avaliamos que o ano de 2018 não foi fácil como já foi dito aqui pela companheira Elisangela Moura, não podemos em momento algum nos sentirmos derrotados nesse processo, nós conseguimos retirar alguns daqueles(as) que faziam um disserviço a classe trabalhadora, e conseguimos avançar nas nossas representações, não foi o que almejamos mais avançamos, nós temos a compreensão de que o trabalhador e a trabalhadora rural precisa ter vez e voz, e sabemos que a FETAG-PI vem fazendo muito bem o seu papel, e a CUT-PI fortalece aqui o seu apoio na defesa dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras rurais do Piauí". Citou.

 “É importante para a Secretaria das Mulheres da CUT-PI esse momento, sabemos que 2018 foi cheio de dificuldades, e que no ano de 2019 precisaremos de mais união, de estratégias de luta para continuarmos defendendo os nossos direitos, precisamos nos fortalecer cada vez mais, e juntas  superarmos todos os desafios, quero dizer ainda que estamos firmes e fortes juntamente com a FETAG-PI na construção e mobilização da nossa VI Marcha das Margaridas”, disse Antônia Ribeiro.

FETAGFETAG

Socorro Silva - CUTPISocorro Silva - CUTPI

O primeiro dia do Conselho foi encerrado com o Lançamento da VI Marcha das Margaridas, que acontecerá em agosto de 2019, em Brasília–DF, nos dias 13 e 14 de agosto de 2019. O lançamento contou com a participação da Secretaria de Mulheres da CUT-PI - Antônia Ribeiro, e demais convidadas.

A Macha das Margaridas é uma ação coletiva protagonizada pelas mulheres do campo, da floresta e das águas que integra uma agenda permanente de lutas dos movimentos sindicais, feministas e de mulheres. 
Seu nome faz referência à Margarida Alves, Presidente do STTR de Alagoa Grande/PB, assassinada em 1983 pelas mãos do Latifúndio.

FetagFetag

“Este é o momento de unir todo o conjunto do movimento sindical e mostrar que a Marcha das Margaridas não é uma construção só das mulheres, mas de todos que lutam por dias melhores, por todos os povos do campo, porque este é um evento protagonizado pelas mulheres trabalhadoras rurais, porém nossas reivindicações são por políticas públicas como, segurança, SUS de qualidade e todos os setores e afirmar que nós estamos juntos em prol desta ação de massa, por isso vamos para ruas de Brasília denunciar todas as retiradas de nossos direitos”, destacou Marlene Veloso, Secretária de Mulheres da FETAG-PI.

Um dos objetivos da Marcha das Margaridas 2019 é, fortalecer e ampliar a organização, mobilização e formação sindical e feminista das mulheres trabalhadoras rurais.

 

 

 

 

carregando
carregando