• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ensino a Distância tem uma das maiores barreiras e não contempla a maioria

Diante da pandemia do covid-19, a internet virou a maior vilã dos estudantes e professores

Publicado: 06 Maio, 2020 - 14h49 | Última modificação: 06 Maio, 2020 - 16h08

Escrito por: Socorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PI
notice
Educação a distância prejudica a maioria dos estudantes e professores

A exclusão de milhares de alunos e alunas estão deixando o SINTE-PI preocupado com os rumos da educação no estado. O isolamento social para conter a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) é um problema para milhares de professores, e professoras que não têm como manter a rotina do ensino letivo presencial.

Com direitos ameaçados, trabalhadores e trabalhadoras da educação se dizem preocupados com à educação universal, com o ano letivo e ainda enfrentam ameaças para mentir sobre presença virtual dos alunos.

A solução encontrada pelos governos, de determinar o Ensino a Distância (EaD) sem assegurar condições para implementação, e nem sequer levar em consideração que somos um país de maioria pobre, portanto, sem condições de comprar um computador, um telefone inteligente e muitos de sequer de adquirir um plano de acesso à Internet, está colocando em risco o direito constitucional ao ensino das crianças e jovens do país.

As autoridades da área da Educação não levaram em conta também o fato dos pais e mães que precisam trabalhar home office, se preocupar com o vírus e ainda ajudar os filhos em casa,  que em geral, têm apenas um computador, quando têm.

São mais de 55 milhões de pessoas convivendo diariamente nas escolas públicas e particulares do Brasil, de acordo com a CNTE, segundo a entidade,  todos e todas devem estar envolvidos num eventual processo emergencial de EaD e precisam ter plenas condições para formular e acessar os conteúdos didáticos, sem precisar sair de casa.

Para Paulina Almeida - Presidente do SINTE-PI "Durante a pandemia do coronavírus nós somos favoráveis ao isolamento social propõe, que é a não contaminação das pessoas, também o uso de máscaras, os cuidados com a higienização das mãos, o uso do álcool em gel de forma devida, defendemos a educação pública socialmente referenciada, para todos e para todas, sem distinção, defendemos a inclusão de todos(as).  O governo do Piauí, atendendo ao conselho nacional de educação, ao conselho estadual, a previsão da LDB, adotou esse sistema de EaD, sabemos que as aulas remotas podem ser adotadas, mas  não concordamos com essas aulas através da educação a distância, ou através de outras atividades na educação pública, essa discordância se dá em detrimento dos trabalhadores não terem a devida capacitação de aula remota, ou pelo canal da educação, tendo em vista que este modelo que ai se apresenta, e que está sendo ofertado hoje pelo estado só atende três cidades, não contempla a todos(as). Uma parte dos(as) alunos(as) não tem acesso a internet, num total de 42% deles(as) segundo dados do PNAD/2017, não possuem internet em casa, não lhes é oferecido o mínimo de condições para o acesso a essas aulas online". Disse.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Para Paulina, "isso é considerado uma disparidade muito grande, mesmo que esta já exista, porém o SINTE-PI não vai colaborar com essa disparidade social,  onde se cria uma falsa ilusão de que se está ofertando uma educação pública, e onde os alunos e as alunas farão de conta que estão recebendo essa educação pública de qualidade". Segundo ela, "educação não pode ser feita como faz de contas, educação é coisa séria". Concluiu.

Em meio a tudo isso, estão os professores e as professoras

As professoras e os professores têm de tentar entender os problemas que os alunos mais carentes tem em casa, se preocupar com o conteúdo educativo e ainda precisam estudar e entender as plataformas digitais. Não há tempo para tantas tarefas.

Além de várias dificuldades existentes, os educadores e educadoras, reclamam e se preocupam muitos com a efetividade do trabalho, da ampliação de jornada, do uso dos equipamentos, das pressões e ameaças para que incentivem os estudantes a participar.