• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Contas de luz puxam para cima inflação oficial em julho. Preços de combustíveis

Taxa oficial foi bem maior que a do mês anterior, mas a mais baixa para julho desde 2014. Em 12 meses, variação é de 3,22%

Publicado: 08 Agosto, 2019 - 14h36

Escrito por: RBA

Agência Brasil
notice
Combustíveis fizeram o grupo Transportes fechar julho com variação de -0,17%

São Paulo – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), taxa oficial da inflação no país, variou 0,19% em julho, bem acima do mês anterior (0,01%) e abaixo de igual período do ano passado (0,33%). Segundo o IBGE, que divulgou os resultados na manhã desta quinta-feira (8), foi a taxa mais baixa para julho desde 2014. O IPCA está acumulado em 2,42% no ano e em 3,22% em 12 meses.

O que pesou mais no bolso no mês passado foi o item energia elétrica: as contas de luz ficaram 4,48% mais caras, em média – variando de -0,40% (Rio Branco) a 7,59% (região metropolitana de São Paulo). Apenas a energia representou impacto de 0,17 ponto percentual na taxa geral, praticamente todo o resultado do mês. Com isso, o grupo Habitação subiu 1,20%, com impacto de 0,19 ponto. Outro destaque foi a taxa de água e esgoto (0,73%), com reajustes em algumas regiões.

O grupo Alimentação e Bebidas, que responde por 25% das despesas das famílias, ficou estável, com variação de 0,01%. Subiram preços como os da cebola (20,70%), frutas (2,51%) e carnes (1,10%) – cada um representando 0,03 ponto –, enquanto caíram os do tomate (-11,28%, -0,04 ponto), feijão carioca (-8,86%), hortaliças (-4,98%) e batata inglesa (-3,68%).

Com queda de 2,79%, em média, os combustíveis fizeram o grupo Transportes fechar julho com variação de -0,17%. O preço da gasolina caiu 2,80% (-0,12 ponto, maior impacto individual negativo do mês), indo de -6,89% (região metropolitana de Salvador) a 1,11% (Grande Porto Alegre). Também caíram os preços do etanol (-3,13%), óleo diesel (-1,76%) e gás natural (-1,47%). Entre as altas, a passagem aérea subiu 18,63% (impacto de 0,08 ponto) e o ônibus interestadual subiu 5,21%.

A maior queda entre os grupo foi de Vestuário: -0,52%. As roupas femininas recuaram 1,39%.

Entre as regiões pesquisadas, a maior variação foi apurada em Porto Alegre (0,54%), com aumento nas frutas e na energia elétrica. O menor índice foi o de Goiânia (-0,22%), com quedas no preço do tomate e da gasolina. O IPCA variou 0,30% no Rio de Janeiro e 0,28% em São Paulo.

Em 12 meses, o índice vai de 2,39% (Curitiba) a 4,27% (Aracaju).

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ficou em 0,10%, acima de junho (também 0,01%), mas o menor para o mês desde 2013. A taxa soma 2,55% no ano e 3,16% em 12 meses.

Segundo o IBGE, os produtos alimentícios voltaram a cair (-0,05%), enquanto os não alimentícios subiram novamente (0,09%).