• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Chegada do 5G ao país desafia governo e empresas a democratizar acesso à internet

Sinal de internet permitirá navegação até 100 vezes mais rápida: uma revolução na indústria e um desafio para que o acesso à rede seja democratizado

Publicado: 12 Agosto, 2021 - 14h19

Escrito por: Socorro Silva-CUT-PI

Pixabay
notice
Navegação na internet ficará até 100 vezes mais rápida com a tecnologia 5G

São Paulo – No próximo dia 18, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lança o edital das frequências da internet 5G no país, em leilão em que as empresas vão disputar a distribuição do sinal no Brasil. A chegada dessa tecnologia terá impactos na economia do país, na sociedade e principalmente no mercado de trabalho, com a navegação de alta qualidade que será proporcionada.

A internet poderá ser até 100 vezes mais rápida e com maior estabilidade. Para os usuários, isso pode representar de imediato chamadas de vídeo com mais qualidade, entre outras possibilidades, mas para os setores da atividade econômica a tecnologia tornará possível conectar todos os equipamentos das áreas de produção com alta eficiência.

Em entrevista à repórter Girrana Rodrigues, da TVT, a pesquisadora Marina Martinelli, da Unicamp, afirma que, por exemplo, no setor de agronegócios, além da etiquetagem inteligente, que vai fomentar e impulsionar a certificação de rede, a modelagem de dados permitirá fazer estimativas das safras, o acompanhamento das plantações e dos animais, e todos os controles automatizados que essas operações necessitam. 

Um dos segmentos em que a tecnologia 5G trará mais mudanças será na indústria automotiva. Para Wellington Damasceno, diretor administrativo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o recurso 5G criará empregos nos países que vão desenvolver a tecnologia. Mas para preservar e criar empregos com esse salto tecnológico, o Brasil precisará investir em desenvolvimento e pesquisa.

Um dos grandes debates do sindicato é pautar políticas públicas, pensando em democratizar o acesso e permitir que a tecnologia melhore os serviços públicos, e que também ela seja indutora do desenvolvimento, do crescimento, e da criação de emprego e renda para os brasileiros. 

Antes de pensarmos em realidades que a tecnologia 5G pode trazer, como os automóveis sem motoristas, aulas remotas e cirurgias à distância, é preciso considerar a desigualdade no país no que tange ao acesso à internet. Levantamento da Anatel de 2020 mostra que um terço das cidades brasileiras não tinha cobertura urbana total de 4G. “Uma discussão que não está no debate é se esse leilão do 5G vai de fato democratizar o acesso à internet. Nós vimos com a pandemia e com a necessidade de as pessoas estarem em casa que grande parte da população brasileira não tem acesso à internet. E ainda uma outra grande parte não tem o acesso adequado, de qualidade, a internet”, afirma.

Essa revolução tecnológica tem efeitos econômicos e sociais no país. As empresas vitoriosas no leilão terão de se comprometer a levar o sinal de internet para mais lugares. Também é importante que os vencedores se comprometam a criar empregos e renda. Até mesmo a menor emissão de gases do efeito estufa por meio de uso de carros elétricos passa pela tecnologia do 5G.

Fonte/RBA