• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Atos alertam sobre proposta de reestruturação de agências bancárias e demissões

Mais um pacote de maldades de Bolsonaro (Ex PSL) e do Ministro Paulo Guedes que ataca os trabalhadores e ao Banco do Brasil

Publicado: 18 Janeiro, 2021 - 16h13 | Última modificação: 18 Janeiro, 2021 - 18h30

Escrito por: Socorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PI
notice
Protestos contra fechamento de agências do Banco do Brasil no Piauí

No primeiro dia de manifestações contra o plano de desmonte do Banco do Brasil, na sexta-feira (15), agências e outros locais de trabalho no banco realizaram atos contra a reestruturação anunciada esta semana. Em vários pontos do país aconteceram protestos contra o plano, que prevê o fechamento de agências e outras unidades, a redução do número de caixas, um Plano de Demissões Voluntários (PDV) que tem por meta dispensar 5 mil trabalhadores do banco, além de outras medidas que prejudicam os funcionários.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Em Teresina-PI, a Central Única dos Trabalhadores-CUT-PI, esteve presente durante atos públicos organizados pelo Sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF/PI), que contou com a participação de alguns sindicatos em apoio a luta da categoria, e de funcionários (as) das agências que serão fechadas, por exemplo a agência do Banco do Brasil da Avenida Frei Serafim, e agência da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Durante toda a manhã de sexta (15/01), os protestos foram alinhados com a agenda nacional que aconteceu em todo o país, e que esclareceu a sociedade e aos(as)  trabalhadores(as) que esse é mais um projeto de Bolsonaro e Guedes, que tem como objetivo a privatização.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Arimatea Passos - Diretor do SEEBF-PI e funcionário do Banco do Brasil "Estamos começando essa cruzada hoje, e haverão mais atos em defesa das agências do Banco do Brasil, e dos funcionários, por determinação do Governo Federal e do Ministro da Economia Paulo Guedes começa um verdadeiro desmonte, isso é um absurdo a gente não consegue entender, um desmonte que começa com a demissão de 5.000 (cinco mil) funcionários num momento desse de pandemia, que pelo contrário os bancários nunca se afastaram do seus postos de trabalho, mesmo ameaçados de pegar a Covid-19, mas sempre estiveram presentes, sempre  estiveram atendendo de uma forma satisfatória na medida em que foi possível, não justifica, não há um entendimento, e iremos protestar contra esse desmonte, contra essa proposta de reestruturação que tem um objetivo claro, ao final é a venda, é a privatização do Banco do Brasil que hoje tem 202 anos, é o primeiro banco que se instalou no país, do qual se serviram tantos grandes e o pequenos comerciantes e agricultores durante a vida toda, e não justifica em nenhum momento que sejam fechadas essas agências, e nem demitir funcionários". Frizou.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Francisco das Chagas (Chicão) - Diretor da CUT-PI "A CUT-PI fortalece o seu apoio aos trabalhadores do setor bancário, e se posiciona de forma contraria a esses desmandos do governo Bolsonaro e do Ministro da Economia Paulo Guedes, que querem acabar e desmontar todo o nosso patrimônio, não justifica um banco que só dá lucro, que serve a toda a sociedade há tanto tempo, é inadimissível que duas agências tão importantes sejam fechadas, ocasionando demissões de trabalhadores e dificultando o acesso aos moradores dos bairros próximos as agências de resolverem suas questões financeiras. Estamos juntos (as) com o sindicato dos bancários contra essa política não liberal que só vai causar danos a classe trabalhadora e prejudicar a sociedade. Paulo Guedes, quer pegar todo o patrimônio público como Banco do Brasil, Caixa Econômica, Banco do Nordeste e entregar para o banco capital, vamos ficar atentos (as) a essa situação, deixamos aqui em nome da CUT-PI o nosso repúdio". Concluiu.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Gilberto Soares - Vice-Presidente do SEEBF/PI, e também funcionário do Banco do Brasil, disse durante o ato que "Esse programa de reestruturação que foi lançado, tem simplesmente a justificativa de   economizar dinheiro até 2025, e traz um projeto ainda maior que começa agora, fechando duas agências no estado do Piauí, são 112 agências que já foi decretado o fechamento em todo o país,  e a estimativa é de demitir mais de 5.000 trabalhadores, um programa que foi lançado num momento muito ruim, e se torna pior ainda por ter sido lançado num momento de pandemia, porque todo mundo sabe o sufoco que é nas agências, para que possamos cumprir a nossa missão, para cumprirmos a nossa responsabilidade, pois é um serviço essencial, mesmo com a Covid-19, mesmo morrendo gente, outros adoecendo, nunca as agências deixaram de funcionar, não faltou atendimento, os funcionários que também adoeceram, mas estamos cumprindo a nossa missão dentro das agências, arriscando as nossas vidas e a vida das nossas famílias, porque quando saímos do nosso trabalho retornamos para casa, abraçar os nossos pais, esposas e nossos filhos". Disse

Segundo Gilberto Soares "O Banco não teve respeito, e nem a sensibilidade de enxergar isso, a garra dos funcionários e das funcionárias, o banco em vez de colocar uma nota na imprensa em agradecimento aos guerreiros e as guerreiras do Banco do Brasil, que nunca abandonaram seus postos de trabalho, ao contrário, ele agora tem um programa de demissão com a justificativa de economizar R$350 milhões, então o banco quer economizar dinheiro prejudicando os funcionários, para onde irão os funcionários dessas agências que serão fechadas ninguém sabe. O banco apresenta números, o que está acontecendo é imconpreensível, é um pacote de maldades, pessoas não são números, é preciso pontuar a situação de cada funcionário, a sua realidade, a única justificativa para tudo isso é economizar dinheiro, como se dinheiro fosse a coisa mais importante, mas o principal é a vida, temos que proteger a vida das pessoas, isso é importante”, ". Concluiu.

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

Socorro Silva-CUT-PISocorro Silva-CUT-PI

O ato em protesto ao fechamento das agências do Banco do Brasil, contou com o apoio de dirigentes sindicais do Sindicato dos Comerciários, Sinte, Sinttel, diretoria do SEEBFPI, e funcionários (as) das agências bancárias.